Respostas biomecânicas e metabólicas a variação do ângulo do selim durante o ciclismo em triatletas


Uma das partes mais exigentes do triatlo é a transição do ciclismo para corrida.

Muitos triatletas acreditam que aumentar o ângulo do tubo do selim pode trazer vantagens na próxima parte da corrida.

O objetivo deste estudo foi avaliar os efeitos da reversão do apoio do assento, no aumento desse ângulo e descrever a resposta metabólica e o padrão de ativação muscular.

Todos os participantes pedalaram em duas bikes com diferentes ângulos 73,5 graus e 78 graus, inverter o suporte do assento da bicicleta de corrida não mostrou efeitos significativos no consumo de oxigênio, nas ativações musculares e nas capacidades de força muscular. No entanto, uma vantagem interessante para os triatletas pode ser a tendência de ativar menos gastrocnêmio e o bíceps femoral durante a fase de ciclagem com 78 graus. Isso pode levar a menor fadiga muscular durante a próxima fase da corrida.


0 visualização0 comentário